|FILME| Drácula (2014): a história nunca contada (Resenha / Review)

quarta-feira, dezembro 17, 2014 1 Comments A+ a-




     Quando criança, o príncipe Vlad foi levado pelos russos e treinado para ser um guerreiro impiedoso e sem misericórdia. Anos depois a criança se torna exatamente isso, a ponto de ser conhecido pelos seus inimigos (e amigos) como Vlad, o empalador. Mas, depois de muitas batalhas e de ter ajudado os turcos a ampliarem seu império, o príncipe voltou para casa, para reinar sob o seu povo.

       Agora mais velho e um homem atormentado pelos seus pecados passados, tudo o que ele quer é viver em paz com sua mulher e filhos. Mas a descoberta de uma estranha criatura no pico mais alto de seu reino, junto a nova ameaça dos turcos faz com que a guerra se torne inevitável.
        Vampiros. Já disse que, quando mais nova, esses eram meus seres sobrenaturais favoritos? Perdi a conta de quantos, livros e filmes assisti sobre o tema, quantos artigos, quantos documentários, quantas séries. Porém, depois de Crepúsculo o tema se tornou um pouco decepcionante para mim: o fato é que não se fazem mais vampiros como antigamente. Talvez um dia escreva mais sobre isso mas é importante explicar toda essa minha relação com "vampiros" para que vocês possam entender minha opinião sobre o filme.
         Acontece que todo o princípio não me convenceu. Transformar Vlad Tepes e transformar essa figura história em vampiro é meio bizarro para mim, ainda mais quando penso que ele é considerado um herói na Romenia. Alguns podem dizer que quiseram falar do "Drácula real", uma vez que a figura história foi inspiração para Bram Stoker fazer o seu Drácula mas tudo me pareceu uma grande fanfic de um personagem famoso.
O imperador Mehmed aka vilão do filme
         Voltando a fanfic ao filme, para salvar o povo da Transilvânia dos turcos e impedir que seu filho seja levado assim como ele foi quando era pequeno, Vlad faz um pacto com um vampiro preso em uma caverna. O vampiro o transforma e diz que se em 3 dias ele provasse sangue humano, tal condição serie eterna, e o vampiro que o transformou estaria livre. Como Vlad considera esse "pacto" uma maldição, promete fazer de tudo para evitar consumir sangue humano.
        E é por isso que não vemos muito "vampirismo", de fato, nesse filme. Considerando que Drácula, como um vampiro, consegue destruir exércitos inteiros, seria muito mais interessante e impactante se muito sangue rolasse nessa cena, de preferência com Drácula mordendo pescoços a torto e a direito. Mas, tirando o finalzinho em que vemos alguma ação desse tipo, todas as cenas de batalha só mostram o qual forte e ágil Vlad se tornou, tornando o fato dele ser um vampiro apenas uma explicação para a aquisição desses novos "super poderes".
        Sim, o filme é legalzinho e tem uma ou outra cena um pouco melhores. Mas achei muito sessão da tarde, sabe? Até mesmo a batalha final entre ele e o imperador turco me lembrou aqueles filmes antigos do Van Damme, com direito a frase de efeito e tudo. Até mesmo o romance entre e ele a esposa não me animou, e olha que gosto de romances.
Desculpe, amor, não posso morder seu pescoço.
        Assisti a esse filme duas vezes, por motivos que não vale a pena explicar e nas duas vezes tive a mesma sensação: o filme faz tudo certo mas não tem aquele algo a mais. É o tipo de filme que você assiste hoje, até indica para um amigo que gosta de aventura/ação mas esquece logo em seguida.
        Por isso minha nota é 6,5 - não gostei mas por uma ou outro momento em que senti que o filme poderia ser bom (e não foi) dei esse meio ponto de bandeja.
       
      |TRAILER|

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

1 comentários:

Write comentários
18 de outubro de 2015 19:17 delete

Voce pode me mandar o resumo completo do filme?

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!