|FILME| Livrai-nos do mal (Resenha / Review)

domingo, outubro 12, 2014 2 Comments A+ a-



      O policial Ralph Sarchie parece estar sempre atraindo algum tipo de problema. Como seu colega de trabalho costuma dizer, ele tem uma espécie de "radar" que sempre o leva para casos especialmente complicados. Naquela semana não foi diferente: Sarchie se depara com o caso de um bebê jogado no lixo, um caso de agressão doméstica em que o sujeito está visivelmente alterado e ataca os policiais e, por ultimo, uma mãe que joga seu próprio filho na fossa do zoológico.

      Tudo poderia ser apenas uma semana difícil porém, ao investigar os casos, Sarchie descobre estarem todos interligados. A sequencia inicial do filme nos mostra o que o detetive só descobre depois: Todos essas pessoas que estão agindo tão estranhamente estão relacionados a um grupo de amigos que serviu no exército e que, na ocasião, de deparou com um santuário onde algum tipo de sacrifício era feito.
       É nesse momento que Sarchie conhece o padre Mendoza, um especialista em demonologia. Como todo bom cético, no inicio o detetive repudia completamente a ideia de que essas pessoas cometendo atos tão horríveis possam estar possuídas. Mas depois essa parece ser a unica explicação possível, uma vez que, em todos os seus anos como policial, ele jamais se viu em tal situação. Mas para combater esse inimigo "sobrenatural" Sarchie ainda terá que perdoar a si mesmo pelos seus próprios erros do passado.
         Livrai-nos do mal é inspirado em eventos reais, como a maioria das histórias desse gênero lançadas nos ultimos tempos. Talvez por isso não tenhamos muitas cenas 'sobrenaturais' em si, o filme é mais um suspense do que propriamente um terror - o que eu até prefiro quando se trata de filmes de possessão: Normalmente as cenas de 'terror' são as que me dão mais vergonha alheia. Então o suspense é bom.
         O problema é que o filme é vendido no trailer como um terror e essa falsa imagem faz com que muitos tenham criticado. Livrai-nos do mal é um suspense com algumas cenas mais 'agitadas' mas é só. É importante dizer que, como uma história de suspense, também foi muito bem construída e que os diálogos entre o cético Sarchie e o padre Mendoza são realmente interessantes, não aquele blablablá céticos vs religiosos que vemos nos outros filmes. Como católica, é a primeira vez que não sinto vergonha alheia pelas coisas que um padre dos filmes diz (já as coisas que ele faz... bem, ninguém é perfeito).

          Não há muito mais o que dizer. Se você curte o gênero e está plenamente ciente de que não vai se assustar ou ter medo de nada desse filme, mas está disposto a acompanhar uma boa trama sobrenatural, vale a pena dar uma chance a 'Livrai-nos do mal'.
            Nota 7 - um filme razoável


P.S.: Momento girlie - Eric Bana  e esse padre (descobri o nome: Edgar Ramirez) são uma excelente visão! Dificil dizer quem é mais bonito mas eu fico com o Bana ^^

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

2 comentários

Write comentários
Paty Algayer
AUTHOR
13 de outubro de 2014 05:07 delete

Oi Karol!
Quando comecei a ler a resenha, achei que era um filme de terror... mas, agora que sei que é um suspense, fiquei mais propensa a assistir! Não curto filmes de terror, e as cenas de possessão realmente dão vergonha alheia... rsrsrs Mas este parece ter uma história interessante, me deixou curiosa!
Bjus,
Paty Algayer - Loucuras da Paty

Reply
avatar
16 de outubro de 2014 11:09 delete

Nossa, confesso que eu achava que realmente era terror. Principalmente pela capa, não tem como pensar algo diferente. Ainda assim, gostei bastante da sua resenha e da premissa do filme, as vezes é até melhor que seja bem bolado e não um monte de cena de susto jogada ao vento. Pretendo assistir logo!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova de "A Lista Negra" no blog, vem conferir!

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!