Resenha: Febre Negra - Karen Marie Moning (Série Fever #001)

segunda-feira, novembro 12, 2012 1 Comments A+ a-


                    

          

          Pense em uma garota de 22 anos que ama rosa, é loiríssima e super mimada. Pois é, essa é a heroina de ‘Febre Negra’. Mackayla Lane é o que podemos chamar de fútil e até mesmo ela tem essa consciência de si mesma: Está completamente satisfeita com sua vida atual, morando com os pais, fazendo alguns cursos na faculdade para mantê-los satisfeitos e ‘curtindo a vida adoidado’.

            Porém tudo muda quando recebe uma ligação informando de que sua irmã mais velha foi assassinada na Irlanda. Depois de um período de luto, Mac vai até esse pais estranho para tentar descobrir algo sobre quem a matou. É ai que o livro começa de fato.
            Não entendo muito de mitologia celta, mas tenho a impressão de que a autora se inspirou em vários elementos dessa mitologia para criar esse livro. Os termos em gaélico, os objetos citados e o próprio ambiente em que se passa a história (Irlanda) contribuem para que eu tenha essa impressão.
            Explicando resumidamente, nesse livro as fadas (Fae) existem e são divididas entre uma corte da luz ( Seelies) e uma corte das sombras (Unseelies). Ambas as cortes tem reis e rainhas que as controlam e possuem poderes sobre-humanos. Aliás, esses seres, chamados de Tuatha Dé, não são humanos e sim vieram de outro planeta, por isso são tão diferentes dos humanos.

            Ok, meu primeiro problema: Extraterrestres. Ainda bem que a autora não se apegou muito a esse detalhe, então eu logo tratei de esquecer essa história de seres de outro planeta. Mas, como eu já disse em resenhas anteriores, sempre me incomoda quando o autor se utiliza dessa explicação para explicar a existência de algo.  Se a autora tivesse falado que os seres vieram de um mundo diferente, mágico, fantástico, sei lá... Mas falar em Aliens e viajantes que chegaram ao nosso planeta para mim é um ponto negativo sempre. Estou para ler uma história em que isso não me incomode.

vi no Wikipédia             Mas chega de chiliques por causa de ETs. Mac narra toda a história como se estivesse escrevendo suas memórias, então o livro todo está em primeira pessoa e no pretérito. De vez em quando ela lança mão de algumas frases misteriosas do tipo “naquela época eu não sabia” ou “só depois viria a saber,” e isso é um pouco diferente das histórias em primeira pessoa que costumo ler mas não necessariamente um ponto negativo do livro. Além dessa personagem-narradora também há alguns outros personagens importantes para história, sendo o mais importante deles Jericho Barrons. Como uma espécie de ‘mentor’, Barrons insere Mac nesse mundo sobrenatural e a ensina como lutar e como se defender dos Tuatha Dé que aparecem em seu caminho.
            Se o livro fosse só perseguir e matar os Fae do mal a história não teria muito sentido então Mac ainda tem que encontrar um livro e salvar o mundo humano da destruição. Além disso, Mac ainda precisa descobrir quem matou a sua irmã para que possa vingá-la.
            Por ser o primeiro livro de uma série, Febre Negra não é tão ruim. Apresenta claramente sua mitologia e deixa vários ganchos para próximos livros, sem se esquecer de apresentar uma conclusão satisfatória nesse primeiro volume, com direito a confronto de bem versus mal e descobertas (mais ou menos) surpreendentes.
            Mac, que no inicio é uma personagem chatinha de se acompanhar, melhora ao longo do livro se tornando menos ‘patricinha’ etc. Porém é um pouco decepcionante que grande parte da mudança da heroína esteja apenas no aspecto físico. Ela pinta os cabelos, muda o estilo de roupa e também alguma de suas prioridades, mas, pelo menos nesse primeiro momento, a mudança de personalidade não é tão grande assim.


            Mesmo sendo uma história de poucas páginas (270, sem contar o glossário) consegui pegar o espírito dessa série e não achei tão ruim. Espero que o interesse romântico de Mac seja melhor definido nos próximos livros por que em Febre Negra o nível de romance é zero e, apesar de algumas cenas mais ‘quentes’, fiquei na dúvida se o par dela é Barrons ou V’lane. Pensando no assunto acho que nenhum dos dois chega a ser um herói por enquanto, até por que Mac acha lindo/charmoso etc. todos os personagens masculinos que aparecem em seu caminho. Ou só tem homem bonito na Irlanda ou a mocinha tem muita sorte.
            Ainda é cedo para dizer se gosto da série, mas fiquei intrigada e pretendo ler o próximo volume – nem que seja para saber qual é o rumo que as coisas vão tomar adiante. Nota 8 – um bom livro. 

P.S.: Li esse livro antes de ler "Sedução Profana" mas percebi uma semelhança entre a mitologia de ambos os livros. Depois disso 'tomei vergonha' e descobri que esses termos pertencem (como eu desconfiava) ao Folclores Celta. Você pode saber mais sobre o assunto clicando aqui e aqui


Você gosta de livros que falam sobre fadas ou seres encantados? Comente! 

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

1 comentários:

Write comentários
Sara
AUTHOR
12 de novembro de 2012 06:32 delete

Eu tenho o costume de ler blogs literários, mesmo não lendo tantos livros assim. Gosto de ler resenhas e estar por dentro dos livros que estão no Brasil. Mas admito que nunca ouvi falar deste livro. Eu li a resenha, porque é assim que eu descubro um pouco do livro e aí vejo se tem a ver comigo, mas parece tão bléhh, e eu gosto de seres encantados/sobrenatural, mas isso não significa que vou ler qualquer coisa, porque afinal de contas,a grana é curta, então invisto nos livros mais cobiçados da minha lista.
Você lê umas coisa bem diferentes de mim. Só por curiosidade, você não curte Galera Record, livros da Intrínseca? Fui dar uma olhada no site da editora Novo Século e tirando alguns poucos livros, o resto é tão desinteressante. Bom, deixa pra lá. Ah, Aliens só são bacanas se for um livro somente de Aliens.

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!