Resenha do livro “Amante Eterno” – J.R. Ward

quarta-feira, setembro 22, 2010 1 Comments A+ a-


Como prometido, estou escrevendo sobre o segundo livro da série da Irmandade das Adagas Negras. Para ler meu comentário sobre o primeiro livro , que na verdade é um comentário geral sobre a série, clique AQUI.
Amante Eterno conta a história de Rhage, o guerreiro que foi amaldiçoado pela Virgem Escriba e que, graças a isso, tem uma besta dentro de si (e isso não é uma figura de linguagem) e de Mary, uma humana que sobreviveu a um câncer no sangue (leucemia). Vale lembrar que, nessa série, os humanos não podem tornar-se vampiros. Ou se nasce assim ou... não.

Rhage está andando pelos corredores da mansão onde moram os membros da Irmandade, andando com dificldade e enxergando muito pouco (a besta tinha aflorado na noite anterior e deixou seqüelas) quando depara-se com Mary Luce que, bem, foi parar lá devido a uma grande coincidência envolvendo um vampiro mudo, que ainda não passou pela transformação.
Apesar de não encherga-la (lembrem-se que a visão estava debilitada) ele logo se encanta com a voz dela e ela fica impressionada com Rhage, afinal, não é a toa que o chamam de Hollywood: o cara é lindo mesmo.
O problema é que as memórias dela iriam ser apagadas para proteger o ‘segredo’. Ela estava lá na mansão mas assim que saísse, Thor, o lider da Irmandade iria apagar as memórias dela. E, de fato, o faz.
Como Rhage já está meio apaixonado por Mary ele conversa com Bella, a amiga vampira da heroína, e a obriga a dizer que ele é amigo dela e a ‘armar’ um encontra entre os dois (Mary e Rhage). Sobre Bella, vale ressaltar que ela é a mocinha do próximo livro (Amante Desperto) e que Mary não sabe que ela é uma vampira.
A questão é: a besta dentro de Rhage o impede de ter um relacionamento normal. Ele vive com medo de se descontrolar por isso está sempre procurando válvulas de escape para a tensão, como violência e sexo. O problema é que ele se descontrola muito rápido perto de Mary e tem medo de machuca-la se eles chegarem a se relacionar. Muitas das atitudes de Rhage - a maioria imperdoáveis, não fosse pelo contexto - são tomadas a partir desse medo de deixar com que a Besta aflore.


Ponto Forte: Rhage é um fofo e se apaixona por ela desde o primeiro instante, ainda que não efina o que sente como amor, não num primeiro momento. Ele e Mary são o ponto forte da trama assim como toda a Irmandade, cujo os guerreiros são, ao mesmo tempo, violentos e gentis, sérios e engraçados.
Ponto Fraco: A história de Butch e Marissa, iniciada no primeiro livro da saga, nessa história fica em stand-by: Logo nas primeiras paginas a autora da uma desculpinha incompreensível e esfarrapada e os dois são esquecidos (Marissa nem aparece no livro). Acho que a autora quis deixar esses personagens para mais tarde mas, a maneira como fez isso não foi muito legal. Sei lá, a conclusão desse mistério (porque Marissa não atendi aos telefonemas de Butch?) tem apenas duas alternativas obvias. Só espero que J.R. Ward não utilize de nenhuma delas.
Outra coisa irritante são os redutores. Esse negocio de Sr. O, Sr. X... Aff, juro que não aguento.

Conclusão: O livro é ótimo e, pra mim, é o melhor casal da série até agora (Já li até o terceiro livro, depois posto um comentário sobre ele também). Apesar dos pontos negativos, a autora conseguiu fazer uma história que encanta e emociona e, mais importante, conseguiu que parecesse plausível um homem se transformar num monstro, um dragão (sei lá). A serie das Adagas tem essa coisa de “química explosiva” que poderia comprometer um pouco do romantismo mas não foi esse o caso. Algumas cenas são tão bonitas que levam lagrimas aos olhos.

TRECHO DO LIVRO
(Ta com uma linguagem estranha porque eu peguei o trecho do e-book. No livro é bem mais bonito). Os dois estão conversando.
- Não sou tua. - Sussurrou ela.
O rechaço não o desconcertou. - Bem. Se não poder te ter, então
tome. Obtém tudo de mim, uma pequena parte, tudo o que queira. Mas
por favor, toma algo.
Ela chegou até sua face, acariciando os planos e ângulo perfeitos de suas bochechas e seu queixo.
- Não teme à dor? - Perguntou ela.
- Não, mas te direi que me assusta como o inferno. Te perder.

Esse livro é ótimo.

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

1 comentários:

Write comentários
SONIAJAM
AUTHOR
28 de julho de 2011 08:45 delete

Este livro me emocionou pelas falas de Rhage assim como vc destacou uma tem outras tantas belas tbem... que eu não lembro, grifei no livro, como estou no terceiro não tenho ak para citar(tá com a cunhada)>>>Gostei + ainda sou + o Rei

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!