|FILME| A forca (Resenha / Review)

sexta-feira, agosto 21, 2015 0 Comments A+ a-


   Há 20 anos atrás, em uma peça teatral chamada "A forca", encenada por alunos do ensino médio de uma escola, um terrível acidente ocorreu: o personagem principal, que seria enforcado na peça, morreu de verdade. 
   Agora, na mesma escola e mesmo palco de anos atrás, a mesma peça será encenada, como forma de "homenagear" a tragédia de anos atrás. Dessa vez o personagem principal será vivido por Reese, um típico astro do futebol, que não tem um pingo de talento para o teatro. Na verdade, Reese só aceitou participar da peça para impressionar Pfeifer, que co-estrela o espetáculo com ele. 
   Eu não sabia muito sobre "A forca" (The Gallows) a não ser aquele viral do "Charlie, Charlie" que se espalhou que nem febre entre os teenagers na época do lançamento do filme. Logo, não estava muito empolgada para ver o filme, por achar que seria sobre um punhado de adolescentes brincando de "Charlie, Charlie Challenge". Mas então eu vi um postêr que dizia algo como "todas as escolas são mal-assombradas" e me empolguei para conferir essa história. Explicação rápida para minha empolgação: Eu trabalho em uma escola e tenho uma ou duas histórias estranhas para contar. 
   O filme começa de forma bem clicherizada. Sim, mais um filme em primeira pessoa, com aquele inicio em que todo mundo dá um jeito de se apresentar, inclusive o câmera-men/personagem que, no caso, é o melhor amigo babaca de Reese, Ryan. É Ryan que, após descobrir uma porta do teatro que fica sempre aberta, dá a brilhante ideia: Ele e Reese iriam entrar na escola naquela noite e quebrar todo o cenário. Assim, Reese não iria se envergonhar na estreia, que ocorreria no dia seguinte e nem precisaria dar pra trás de ultima hora.
   É só após que Ryan, Reese e Cassidy (namorada de Ryan) entram na escola que o filme começa a ficar interessante. A partir daqui não vou dar mais spoilers, mas o clima de suspense causado por uma escola/teatro no meio da noite, cheio de lugares completamente estranhos e até então desconhecidos pelos personagens, convence bastante.

   O filme vai melhorando gradativamente, com cenas que mesclam sustos e medo de maneira divertidíssima até o final, que é simplesmente um tapa na cara. Primeiro, por que eu não esperava. Segundo, por que as cenas do desfecho são simplesmente as melhores de todo o filme, daquelas de se arrepiar, gritar e sair depois pensando na história.
   Não posso terminar essa resenha sem comentar sobre um dos meus pontos favoritos do filme, o antagonista Charlie. Em todas as histórias o antagonista tem sua importância mas é só nos filmes de terror que ele pode ser até mais importante que o protagonista. A maneira como eles personificaram esse adolescente com um destino trágico e sedento de vingança foi o que fez o filme sair do medíocre e ser mais que apenas mais um filme no estilo de Atividade Paranormal. Um fantasminha incógnito aqui seria decepcionante; os produtores acertaram em cheio criando esse ser sobrenatural assustador e garantiram personalidade ao filme ao faze-lo. (Aliás, prevejo continuações desse filme, anotem aí).
   A forca não é nenhum filme espetacular, tampouco entrou para a minha lista de favoritos mas é o primeiro filme de terror/suspense que assisto em muito tempo que cumpre o seu papel básico: assustar e entreter o público que assiste. Não é o tipo de filme que te faz ficar noites sem dormir e o começo é bem maçante mas, com o desenrolar do filme, a história consegue envolver o expectador e (talvez, se você estiver distraído) até mesmo surpreender.
   Se você ainda não assistiu A forca, recomendo que o faça chamando seus amigos para um cine em casa com muita pipoca, refrigerante e guloseimas. Os sustos e calafrios estão garantidos.
   Nota 8 - um bom filme.


"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!