Filme: Os miseráveis (Resenha/ Review) #Oscar2013

sexta-feira, março 22, 2013 2 Comments A+ a-

                   



 sem spoiler


      Depois de ser preso por furtar um pedaço de pão e passar 19 anos fazendo trabalhos forçados, Jean Valjean é finalmente liberto, sob eterna condicional. Ele então passa a vagar pelas ruas, hostilizado e ridicularizado por todo lugar que vai. O único que lhe dá abrigo é um padre, que Valjean rouba por não acreditar mais na bondade das pessoas. Ao ser preso e levado como ladrão até o padre de que roubou se surpreende quando este informa aos policiais que ele doou toda a prataria para Jean Valjean, conforme o primeiro havia dito. A partir daí o ex-prisioneiro decide mudar de vida, e, tornando-se um rico comerciante, dedica sua vida na ajuda dos necessitados.
        Os miseráveis é um filme baseado em um musical da Broadway, que por sua vez é inspirado no livro homônimo de Victor Hugo. Li esse livro quando estava na quarta série, uma versão resumida dadas nas escolas, logo não me recordo de muita coisa. Mas, pelo o pouco que me lembro deste livro, achei que o filme não fugiu muito do tema principal, embora tenha tomado algumas liberdades para que a história ficasse mais dinâmica.
        Aliás, já disse que 'Os Miseráveis' é um musical? Desde o primeiro minuto até o final de sua 2h38min não há uma palavra falada, tudo é dito como se fosse uma canção que nunca termina - apenas alterna de um tema para outro, dependendo do personagem que está falando cantando. Falando em personagens, são muitos e muitos. Só não me confundi pois o filme tem um elenco incrível, logo, os personagens com mais participações também são aqueles com atores conhecidos e importantes no papel. 

         A começar por Hugh Jackman, que está bem convincente como Jean Valjean. Anne Hathway renderia um parágrafo a parte, tamanha a dedicação e intensidade que deu a Fantine, sua personagem: Em 20 minutos de filme eu não só havia concordado plenamente com o Oscar de Melhor Atriz coadjuvante que lhe foi dado pelo papel, como também já estava chorando com sua comovente interpretação de I Dreamed a Dream (sim, aquela música da Susan Boyle)


I dreamed a dream in time gone by...
           Temos também Helena Boham Carter (talentosíssima, como sempre) dividindo a cena com Sacha Baron Cohen (o eterno Borat, mais uma vez me surpreendendo com seu talento) e formando o alívio cômico do filme. Amanda Seyfried mostrou sua afinação vocal já conhecida interpretando Cosette e eu não posso falar dos atores fantásticos que esse filme tem sem citar Russel Crowe e seu Javert - pode não ter sido o ator mais virtuoso ou o cantor mais talentoso mas amei sua voz (a mais grave da trama) e seu personagem altamente moralista. 
            Com essa combinação de enredo dramático e atuações excelentes, como não amar "Os miseráveis"? Chegou num ponto do filme (do meio para o final) em que eu só sabia chorar, por que cada personagem que aparecia e desaparecia me cativava com sua história e sua voz, e eram muitos personagens, entrando e saindo de cena o tempo todo. Abro aspas para falar da personagem Éponine e seu amor não correspondido: Seu solo na chuva é um dos momentos mais emocionantes do filme, ao menos para mim. Na dúvida, anotei o nome da atriz em meu arquivo mental: Samantha Barks, que viveu seu primeiro papel nas telonas. 



             Mesmo com tanta choradeira da minha parte, ainda amei cada minuto da história, coroada com aquele final tão bonito visualmente quanto emocionante e cheio de significado. 'Os miseráveis' é um filme obrigatório para os que gostam de musicais e, embora não seja um "campeão" certamente é tão admirável ao ponto de merecer a indicação ao Oscar que recebeu. Nota 9 - muito bom

Trailer

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

2 comentários

Write comentários
Anônimo
AUTHOR
23 de abril de 2015 11:57 delete

Vai você mano, respeita, se não gostou o problema é seu, ele ajudou bastante a enterpretar o filme, e você aí fazendo uma crítica, pode criticar, mas faça criticas construtivas, obrigado !

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!