Resenha: Luxúria - Eve Berlin (Trilogia Luxúria #001)

segunda-feira, outubro 29, 2012 3 Comments A+ a-




        Quando a escritora de romances eróticos Dylan Ivory decide escrever um livro a respeito de sado-masoquismo, ela decide retirar o conhecimento "direto da fonte" - entrevistando pessoas que tem isso como opção de vida. Mas, ao conhecer Alec Walker, um dominador conhecido no meio, ela percebe que grande parte de suas teorias pré-concebidas sobre o assunto estavam erradas.

          É então que Alec faz a proposta: Segundo ele, Dylan jamais saberia como é a verdadeira sensação de uma sessão de sadomasoquismo se não experimentar. Ele propõe que ela seja sua submissa para que possa ter material suficiente para escrever sua história.
           O problema é que Dylan não se considera uma submissa. Desde pequena ela aprendeu que o melhor é se manter no controle de todas as situações, não se submetendo a nada e nem ninguém. Ela então faz uma contra-proposta: Ela tentaria se submeter a Alec, porém, caso ele não conseguisse dominá-la, ela seria a dominadora na relação. Alec aceita e começa então a história.
            Luxúria é o primeiro livro de uma trilogia da autora Eve Berlin. Os livros seguintes contarão histórias paralelas a essa narrada no primeiro livro, com outros personagens como protagonista.
            Achei a capa desse primeiro livro muito bonita e confesso que essa foi a primeira coisa que me chamou atenção, seguida pela sinopse interessante. Esperava um romance adulto (erótico) com o tema BDSM e um toque de romantismo e, nesse quesito, o livro cumpriu todas as minhas expectativas. A trama inteira gira em torno dessa pratica sexual pouco usual entre os personagens, os 'jogos de poder' que fazem um com o outro. Dylan, a personagem feminina, é a tipica mulher moderna: Gosta de sexo mas também é independente e segura de si. Para ela é difícil entender e racionalizar essa coisa de submissão, razão pela qual resiste no inicio. Já Alec é um cara viajado, estudado, que vê a prática como uma relação de troca de poder entre as duas partes: Ele explica a Dylan que, nesse tipo de relacionamento, o submisso também é poderoso pois, apesar de dar o poder e controle ao dominador, é ele quem decide até onde este pode chegar.

            No começo impliquei com a maneira com que essa autora escrevia. Não tanto pelos termos utilizados mas pelas frases um tanto curtas com que a autora narrava a história (a propósito, a narrativa é em  3º pessoa). Tive um pouco de dificuldade com essa escrita mais crua e seca porém logo me acostumei e, acabei devorando o livro.
             Li 'Luxúria' em um final de semana e gostei muito da trama e dos personagens. Entendo que alguns clichês sejam característicos do gênero mas gostei da maneira como esses clichês se alinharam nesse romance. O  desfecho achei particularmente interessante pois mostra que, apesar do amor que eles sentem um pelo o outro, ainda precisarão se ajustar e superar seus medos. Ou seja: Não há final feliz tipico, em que eles são felizes para sempre e todos os problemas são removidos. A impressão é de que o amor entre eles é um ponto de partida para que eles tentem fazer da certo, apesar dos receios que ambos sentem.

          É impossível falar de Luxúria sem citar o romance erótico feminino do momento, 50 tons de cinza. Provavelmente quem leu e gostou de Cinquenta Tons irá se interessar por esse. É por isso que dou o aviso: Apesar do mesmo tema (Sadomasoquismo) ambos os livros diferem no enredo, nos personagens e na maneira como o tema é retratado. 'Luxúria' aborda o tema com mais liberalismo, pois a mocinha não se ressente com as preferências sexuais do mocinho, encarando-as e se descobrindo também interessada por tais praticas.  Além disso, Alec não usa os tapas da mesma forma que Grey, como punição, e sim como preliminares entre ele e Dylan.
            É difícil explicar e confesso que gostei de ambos os livros mas acho 'Luxúria' um livro que aborda o sadomasoquismo de maneira menos preconceituosa e mais realista do que 50 tons.  A dinâmica entre o casal também tem mais foco do prazer/dor, todas as cenas entre eles tem algum momento sadomasoquista. Há uma cena em particular, em que eles vão à um clube de sadomasoquismo, em que tem até um pouco de exibicionismo, por isso, se acha estranho a mocinha ficar nua no meio de outras pessoas, talvez seja melhor ler outro livro. 

             Como já disse antes, gostei muito do livro, dos personages, tanto que pretendo ler os próximos lançados. Não é um livro memorável mas gostei bastante da maneia como foi abordado o tema. Minha nota é 8 - bom. Recomendo a todos que gostam de romances adultos e particularmente àqueles que consideraram 50 tons de cinza muito politicamente correto e perfeitinho.

P.s.: Quase ia me esquecendo. Que mocinho que é esse, gente? Muito fofo *-*

EXTRAS
Sinopse e página do livro no Skoob. 


Você já leu algum livro com o tema sadomasoquismo? Comente! 
         

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

3 comentários

Write comentários
Mary Pardo
AUTHOR
4 de dezembro de 2012 20:37 delete

Olá, eu acabei de ler Luxúria, adorei, é exatamente o que disse, sobre o sadomasoquismo ser tratado de forma diferente dos 50 Tons. Li o livro inteiro hoje. Já li a trilogia dos 50 Tons, isso quer dizer, os três. E li também o Toda Sua, que é muito bom também.

Reply
avatar
Jennifer
AUTHOR
9 de fevereiro de 2013 20:45 delete

Adorei sua resenha. Me deixou bastante curiosa.

Ah, mas dentro dessa nova febre de romance hot, eu recomendo um nacional "Redes Sensuais". Ele me tocou por ser mais real e pela trama mais elaborada sem deixar de lado o erotismo.

Eu fiquei sabendo deste livro pelo Facebook e comprei pela internet, mas agora apareceu uma versão gratuita aqui neste link http://ge.tt/78mDJLP. Quem curte esse tipo de romance vale a pena conferir.

Reply
avatar
Fátima Nunez
AUTHOR
12 de fevereiro de 2013 13:14 delete

Finalmente alguém falou de "Redes Sensuais" então não estou ficando louca!!! Porque este livro só eu conheço, ninguém nunca ouviu falar. O problema é que trata-se de uma história com sexo sim, só que é bem mais intrigante e exige mais atenção (e inteligência) do leitor. Não sabia da versão gratuita comprei o meu pela internet ao ver a indicação no "Jornal da Orla" e adorei!!!! Quanto a Luxúria... parece ter uma história boa, quero algo que seja real, conto de fadas já passei da idade!!!! Vou conferir Luxúria!

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!