[Entrevista] Evandro Raiz Ribeiro (autor de Não Deixe o Sol Brilhar em Mim)

segunda-feira, julho 18, 2011 11 Comments A+ a-

       Bom dia a todos! 

        Hoje estou inaugurando uma nova sessão do blog: Entrevistas! 
        Já havia publicado algumas entrevistas por aqui antes mas essa foi a primeira que eu fiz, então tenham paciência. 
        O objetivo é saber um pouco mais sobre o que passa na cabeça dos autores nacionais e  internacionais também, se alguma boa alma quiser me ajudar com tradução e etc.

 (Algum voluntário? Alguém?)

         Bom,  chega de enrolação, o entrevistado de hoje é o Evandro Raiz Ribeiro, autor do livro Não Deixe o Sol Brilhar em Mim, publicado pela Editora Dracaena. Quando postei a sinopse desse livro aqui no blog, logo fiquei interessada pela história, não só por ser sobre vampiros mas também por que me lembrou muito o filme "Deixe-me entrar" (breve review)

         Não li o livro mas fiquei com vontade depois de ler essa entrevista. Vamos ver? 

Olá, Evandro!

1.  Fale um pouco sobre você... Como/ Quando decidiu que iria ser escritor?

Meu nome é Evandro Raiz Ribeiro, tenho 49 anos nasci na cidade de Recife, aos 13 anos fui morar em Santo André no ABC paulista cidade que considero como minha segunda terra natal . Atualmente moro no Japão onde estou com a família desde 1992 e não retornei ao Brasil nem a passeio coisa que pretendo fazer em breve.

Eu não decidi me tornar escritor, foi algo em que nunca pensei;  escrevia alguma coisa de vez em quando, mas sem nenhum compromisso com nada, por isso achava tudo que escrevia muito ruim e acabava esquecendo.   Quando pensava em alguém como  escritor, considerava (o fato da pessoa ser escritor) algo fora do comum;  alguém que estava num panteon de imortais ou coisa parecida, totalmente fora do meu alcance.  E de repente, puxa vida, eu escrevi um livro;  Mas continuo aqui, não mudei , sou a mesma pessoa e não tenho nada de especial .


2.  Infelizmente não li seu livro ainda, mas quando li a sinopse me lembrei de um filme recente que assisti “Deixe-me entrar”. Pesquisei na internet e descobri que a versão sueca do filme foi sua inspiração para a história. Fale um pouco dessa motivação que o filme te despertou. Que elementos dessa história que mais te agradam?

“Let me in” ou “Deixe-me  entrar” é um remake americano do filme Sueco “Let the Right One In” do Diretor Tomas Alfredson baseado na obra homônima de John Ajvide Lindqvist.  E eu considero o filme sueco uma obra prima.  O filme americano não é ruim, mas eu o achei desnecessário.  Sou fã de hístórias de terror, principalmente das com  tema vampiresco, e quando assisti “Let The Right One In” surtei completamente.
Veja bem, o filme deve ter tido um baixo orçamento e tem muitos defeitos que chegam a ser ridículos, mas isso não interfere na beleza do filme como um todo.

Eu estava cansado dos velhos vampiros clássicos e dos novos moderninhos demais,



e a concepção de vampiro de Jonh A. Lindqvist, eu achei fantástica, uma meninha  comum sem nenhum poder excepcional.  No filme o diretor Tomas Alfredson soube captar e passar os anseios,sofrimentos e solidão de cada personagem de forma estupenda.  E o filme esconde um pouco uma temática que é escancarada no livro a respeito das relações humanas.  Outro ponto importante tanto do filme quanto do livro é o jogo de interesses.  Para concluir eu achei o tanto o livro quanto o filme sensacionais, mas eu quis escrever minha própria história baseada no tema,  e para mim se existissem vampiros seria como o de Jonh A. Lindqvist. Mas não pensem que minha história é uma cópia do filme ou livro; minha história é original, passada no Brasil, com personagens caracteristicos  e situações inusitadas. O tema é o mesmo , o encontro de um garoto que sofre bullying familiar e na escola com uma garota vampiro, mas a temática é outra  e quem assistir ao filme e ler o livro  da história sueca e ler meu livro vai ver que uma coisa não tem nada a ver com a outra e não existe nem mesmo uma linha de texto  parecida. 


3. Por que escrever sobre vampiros?

Porque é um tema que me  fascina desde criança, e não tem nada a ver com os modismo atuais. Não escrevi  meu livro pensando que era a época de escrever sobre vampiros e a próxima  sobre anjos, zumbis ou sei lá o que; escrevi porque gosto.

"Eu estava cansado dos velhos vampiros clássicos e dos novos moderninhos demais..."


4. Ainda falando sobre filmes, costuma ir com freqüência ao cinema? Quais seus filmes favoritos?

Depois que vim para o Japão, dificilmente vou ao cinema. Mas, há muito tempo encontrei meu aliado como cinéfilo que sou, primeiro o VHS, depois o Dvd e agora o Bluray. Para mim é perfeito, sou muito chato para assistir a um filme e ninguém gosta de assistir comigo.  E gosto de assistir a filmes que me interessam de várias maneiras possíveis, dublado, legendado, mudo; volto várias vezes para entender detalhadamente cada ponto  e leio até o último crédito;  aquele figurante que apareceu lá no fundo desfocado, vai ter seu trablho reconhecido pois com certeza vou ler seu nome.  Rsrs!


 5. Voltando a literatura, quanto tempo levou para terminar a história? Qual foi sua principal dificuldade?
Levei 10 meses para concluir o livro  e a maior dificuldade foi fazer revisão do que escrevi. Escrevo num impulso e depois vou acertando, e isso é muito chato. Escrevi e reescrevi várias cenas e deletei várias páginas, essa parte é que é trabalhosa.


 6. Tem algum autor que te inspira? Aquele que você lê e pensa: “Nossa, queria escrever que nem ele...”?
Existem vários escritores que me fazem  sentir uma inveja tremenda. Rsrsr!   Quando leio “Dom Casmurro”, sim digo quando leio, por que já li e reli várias vezes e minha edição é das antigas,  fico maravilhado com o texto elegante e bem trabalhado de Machado de Assís; Com o texto fluído de Luiz Fernando Verissímo. Nessas horas me volta a imagem do “Panteon dos Imortais”, eles lá em cima e eu pobre mortal comum, admirando cá de baixo.

  

7. Se pudesse escolher um só livro para ler o resto da vida, qual seria? Quais são seus livros favoritos?
Dom Casmurro é o meu livro favorito.


8. O que é mais fácil: Escrever ou publicar?
Não dá para fazer  comparação, publicar não depende de mim, e esse pequeno detalhe é um tudo. Publicar depende do interesse de terceiros, e fazer com que esses terceiros passem os olhos no nosso trabalho é coisa mais complicada que os doze trabalhos de Hércules.



9. Deixe um recado para quem ainda está lutando para publicar, os escritores iniciantes.  
 Se ter seu trabalho publicado é seu sonho,  então invista nesse sonho, corra atrás, porque não vai cair do céu. Muitos autores famosos de hoje , tiveram que bancar seus primeiros trabalhos. Hoje em dia, várias editoras  estão oferecendo uma opção alternativa.

  
"Publicar depende do interesse de terceiros, e fazer com que esses terceiros passem os olhos no nosso trabalho é coisa mais complicada que os doze trabalhos de Hércules"


Muito obrigada pela entrevista, e um abraço dos leitores do blog =)
Eu é que agradeço pela oportunidade, Obrigado.

***

E essa foi nossa primeira entrevista? O que acharam? Que autores gostariam de ver entrevistados? Comentem! 

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

11 comentários

Write comentários
Nanda
AUTHOR
18 de julho de 2011 08:10 delete

Ei Miss,

Muito legal a entrevista, eu estou bem curiosa para ler Não deixe o sol brilhar em mim e a capa ficou fantástica. Gostei de saber mais sobre o autor, já falei com ele por e-mail e ele é muito atencioso.

P.S: De HP o que eu não gostei foi o que vc falou tbm, e do Lupín e da Tonks ne, mas o final que me irritou, tiraram a melhor cena do livro e depois parecia q não era nada demais a morte dele rs.

bjo
Nanda

Reply
avatar
18 de julho de 2011 08:18 delete

Parabéns pela entrevista, ficou muito boa.

É bom saber sobre os autores brasileiro que cada vez mais estão crescendo aqui. Fiquei com muito mais vontade de ler "Não deixe que o sol brilhe em mim", e espero fazê-lo em breve. *-*
Não me canso de olhar para esta capa. Linda demais!!! *-*

Beijo.

Reply
avatar
Vicky Doretto
AUTHOR
18 de julho de 2011 09:38 delete

Muito legal a entrevista, adorei (:
Boa sorte com a nova sessão do blog ;D
BJão =^.^=

Reply
avatar
Julia G
AUTHOR
18 de julho de 2011 10:00 delete

Miss, adorei a entrevista! Muito legal saber mais sobre o ator, mesmo não tendo lido o livro.
Achei muito legal a comparação que ele faz dos autores com a imagem do “Panteon dos Imortais", pois é exatamente assim que os vejo!

P.s. Eu não sou muito fera no inglês, mas se quiser, a gente pode conversar sobre meu voluntariado!

Beijos
Conjunto da Obra

Reply
avatar
Sofia Duarte
AUTHOR
18 de julho de 2011 13:49 delete

Oieeeee!
Eu até te diria qual autor gostava que entrevistasse... EU! ahahah Pena ainda não ter livro editado ainda...rsrsrs

Bem, vim responder ao teu comentário nas Quotes da Semana do Universo Literário... Bem, eu que faço as quotes também pertenço ao projecto The Unforgiven Souls... Podes pensar numa espécie de saga separada por temporadas e com muitas personagens a contar as suas versões da história. Se quiseres ver melhor é ires dar uma olhada aos resumos das temporadas e as personagens em http://theunforgivensouls.blogspot.com

Bem, o Workshop é para envolver mais as pessoas com o nosso projecto, para conhecerem melhor a forma como nós desenvolvemos a história. É um workshop de escrita e de imaginação em que as letras são o limite...

Espero ter esclarecido... Caso queiras saber mais, pergunta nas quotes ou então mesmo no email do TUS que eu respondo mal possa.

Um abraço querida!

Reply
avatar
Nana
AUTHOR
18 de julho de 2011 14:43 delete

Oiee Miss
Adorei a entrevista!!
Ahh sabe eu tenho a versão sueca de Deixa ela Entrar, mas não vi ainda =/
Ah acho que foi aqui que comentei, que gostaria de ler o livro dele tb.
A capa é linda!
Ótima entrevista.
bjs

Nana - Obsession Valley

Reply
avatar
Clícia Godoy
AUTHOR
18 de julho de 2011 15:41 delete

Olá!

Adorei a entrevista!

^^

Achei bem bacana!

E a capa do livro ficou linda!
=)

Bjinhos
Psiu!
Silêncio Que Eu To Lendo

Reply
avatar
Carissinha
AUTHOR
18 de julho de 2011 18:41 delete

Quando li a sinopse quis ler o livro, depois da entrevista me interessei mais.
e ele parece muito simpático. Por acaso é meu conterrâneo.

Beijos!!

Boa semana!

Reply
avatar
18 de julho de 2011 19:12 delete

Oi Miss! Parece ser um ótimo livro e amei muito a entrevista :D O Evandro parece ser um cara super legal *_* Preciso muito ver o filme ._. Tipo já tô muito atrasada! haha

Beijos, World of Carol Espilotro - carolespilotro.blogspot.com

Reply
avatar
Thaís Varine
AUTHOR
19 de julho de 2011 10:14 delete

Muito simpático o Evandro! E adorei a entrevista. Ainda não tinha ouvido falar muito desse livro, mas sempre é bom ler algo. Assim eu fico mais informada e curiosa ;D

Beijos

Reply
avatar
20 de julho de 2011 06:20 delete

Adoreeei! Já tinha visto a capa de Não deixe o sol brilhar em mim (que, por sinal, é linda) e lido a sinopse e tbm tinha lembrado muito de Deixe-me entrar! Mas, diferente de você, eu assisti a versão original rs
A entrevista ficou muito bacana ^^ O Evandro me conquistou dizendo que mora no Japão *-*
Beijos!

ps: brigada por dizer q gosta das minhas resenha! tbm adoro as suas! :)

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!