Resenha: Marcada - P.C. Cast e Kristin Cast (House Of Night #001)

segunda-feira, junho 11, 2012 1 Comments A+ a-



            Zoey é uma adolescente comum: Tem um namorado, uma melhor amiga, uma irmã mais velha... Até que um homem com misteriosas tatuagens aparece em sua escola e a marca. Então Zoey perde tudo e encontra um mundo novo, o mundo dos vampiros.
            É mais ou menos esse o resumo de Marcada, o primeiro livro da série House Of Night. O livro já foi lançado há certo tempo, porém nunca tive muita vontade de lê-lo antes: Cheguei a ler o primeiro capitulo de Marcada na época em que estava meio viciadinha em Crepúsculo, mas desisti de comprar.
            Até que recebi uma indicação no Tumblr, acho que no ano passado. Depois disse foi como se alguém tivesse ligado uma lâmpada na minha cabeça: Eu iria ler Marcada e ponto. Alguns meses se passaram mas é como diz o personagem de Leonardo de Caprio no filme A Origem : “O parasita mais resistente de todos é uma ideia.” Por isso permaneceu em mim a vontade de ler esse livro, tanto que acabei comprando o volume 1 e 2 da série no meu aniversário.
            Depois que comecei, simplesmente não consegui desgrudar de Marcada. No começo estava levado tranquilamente, mas logo no Capitulo 1 o livro me ‘pegou’: Zoey, apesar de ser uma aprendiz de vampira já tem sede de sangue. A cena em que ela “seduz” seu namorado do colégio e se sente fascinada com o sangue dele, mesmo sem saber o que está fazendo é o tipo que espero sempre que vou ler um livro com vampiros. Mesmo sendo um YA Book ‘Marcada’ consegue manter um clima de sensualidade e perigo que é o que sempre me fascinou em livros com esses seres.
            Antes pensava que  House Of Night  era uma mistura mal feita de Crepúsculo e Harry Potter. Afinal a heroína recebe uma marca e vai para uma escola aprender a se tornar uma vampira. Convenhamos que não é lá muito original. Mas então li o livro e percebi que, mesmo com alguns clichês, essa série é original a sua própria maneira.

            Não estou falando sobre o fato dos vampiros sempre existirem ou de eles passarem por uma transição que pode matá-los, nem mesmo das tatuagens maneiras que os vampiros têm (embora isso também seja bem legal, admito). O que achei incrivelmente criativo, uma verdadeira ‘sacada’ da autora, foi fazer esse paralelo entre os vampiros e o culto da ‘Deusa’ Nyx, a deusa grega da noite. Segundo a série, Nyx teria sido a criadora dos vampiros e, por isso, cultuada por eles, seus filhos. Mas, pelo o que deu para entender da visão de Zoey, Nyx é apenas uma personificação da ‘Deusa’, sendo que há muitas outras.
            Foi criativo por que a autora ainda fazer um comparativo entre os vampiros e a cultura Cherokee, os rituais e até mesmo os preconceitos que esse povo sofreu. Um dos primeiros “Vilões” que aparecem no livro é o padrasto de Zoey, um líder do chamado ‘Povo de Fé’, que não aceita nada que seja diferente ou outras religiões que não sejam as deles mesmos. Se você não percebeu referências ao cristianismo, por favor, me desculpe. Mas para mim foi impossível não fazer paralelos entre o ‘Povo de Fé’ com os ‘Puritanos’, que colonizaram os E.U.A. (e acabaram com a maioria das crenças indígenas).  O Povo de Fé quer excluir os vampiros, ignorar sua existência e condená-los, apenas por que eles são diferentes.
            No meio de tudo isso ainda tem espaço para romance, como no relacionamento entre Erik e Zoey. A propósito, não li outros livros da série (então não me dêem spoiler!) mas já deixo registrado que não confio em no par da mocinha, embora talvez isso seja porque não sabemos muito sobre ele. Também não confio na sempre doce Neferet, e tenho certeza de que vou acabar me provando certa sobre ela nos próximos livros.
            Sobre os outros personagens, não há muito a dizer. A principal vilã nesse livro é Aphrodite mas algo me diz que ela é peixe pequeno perto do que vem por ai.
            Li esse livro há vááários meses e só não postei comentários antes por que simplesmente esqueci de fazer a resenha. Mas  não deixa de ser um ponto positivo para história o fato de que, mesmo tendo passado tanto tempo, eu ainda considere-o uma ótima leitura.

            Indico para você que curte YA Books, tem mente aberta e não se importa com vampiros que desejem (e bebam) sangue.  Nota 8,5 – um livro muito bom, mas tirei meio ponto pois é o inicio da série. Apesar de ter começado muito bem, vamos ver o que a autora faz com as pontas soltas que deixou nesse livro nos próximos volumes da série.


Já conhecia essa série? Gostaria de ler? Comente!

"My work always tried to unite the true with the beautiful; but when I had to choose one or the other, I usually chose the beautiful." -- Hermann Weyl Miss Carbono que é o numero 6 na tabela periodica

1 comentários:

Write comentários
11 de junho de 2012 13:07 delete

Parabéns pela resenha! Muito em breve pretendo ler House of Night. Abraços!

Reply
avatar


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!