Resenha: O sonho de Eva - Chico Anes.


             Estou sonhando?

Essa é a pergunta que a Dra. Eva Abelar faz a s mesma de tempos em tempos. Principalmente depois que sua irmã, Anna, se mata e seu filho, Joachim é seqüestrado.
Não que Eva seja maluca, mas é que sua realidade está com ares de pesadelo. Além disso, como experimentadora de sonhos lúcidos, sabe que fazer essa pergunta a si mesma de tempos provoca um questionamento que pode ser levado até os próprios sonhos.

Para quem não sabe, é chamado de sonho lúcido aquele tipo de sonho onde sabemos que estamos sonhando e temos controle sobre as coisas e sobre o universo que sonhamos. Eva Abelar estuda os sonhos lúcidos e apresenta a tese de que podemos desenvolver nesse mundo uma “Superconsciência”, onde qualquer pessoa poderia se tornar um gênio.
Sua tese é chamada de misticismo por alguns estudiosos, porém uma empresa a leva muito a sério. A Yume, empresa para o qual sua irmã trabalhava, convida Eva para tomar o lugar da irmã, como cientista que ira aperfeiçoar o novo Dream Game criado por eles. Um Dream Game, ou oniro-game é um jogo de hiper-realidade que os jogadores poderão jogar enquanto dormem. Parece a revolução do mundo dos games. Mas, para Eva, parece também uma arma, que pode ser utilizada para controlar a vontade das pessoas.
Mesmo assim, Eva aceita o convite e vai para a China, desenvolver o tal jogo. Ela acredita que as indústrias Yume tem algo a ver com o desaparecimento de seu filho e não vai sossegar até descobrir onde Joachim está. Nem que para isso tenha que adentrar o covil da Yume.

Esse é um livro que me chamou a atenção assim que li a sinopse, por isso não demorou muito para que eu começasse a lê-lo. Confesso que no começo fiquei meio perdida com esse papo de sonhos lúcidos e super-consciência, mas logo me acostumei com esse questionamento todo e com o estilo de narrativa de Anes.
O sonho de Eva tem um clima de suspense que intriga e te envolve na trama. Claro, sou uma chata e adivinhei que algumas pessoas não eram o que parecia antes da revelação final, mas gostei como a história foi conduzida. A maneira como o passado de Eva foi revelado aos poucos para os leitores e a habilidade do autor de deixar alguns elementos em segredo até o desfecho da trama são alguns dos pontos altos do livro. Assim como as referências à psicologia e alguns aspectos místicos da história, que são temas que me despertam o interesse.


Claro, a história também tem alguns pontos fracos. Eva não é uma heroína com que me simpatizei de imediato e, o fato de quase todos os personagens do livro serem um pouco apaixonados por ela me irritou um pouco. Entendo que, como protagonista da história, ela tem que ser o centro de toda ação mas achei meio inexplicável a paixão que ela desperta em alguns personagens secundários. Lee por exemplo, por que se apaixonou por ela? Súbita paixonite apenas?
O final, apesar de ter várias reviravoltas e elementos que deram ação e adrenalina para a trama, deixou algumas pontas soltas, principalmente no desfecho dos personagens secundários. Tudo bem, eles não são os principais das trama mas, como leitora, eu queria saber o que ocorreu com eles. Nesse final também fiquei com uma dúvida sobre Joachim mas acho que é algo para ser pego nas entrelinhas mesmo, então deixa para lá.

A mascara para dormir faz parte do kit da Novo Conceito. A outra mascara não.Recomendo o livro para quem gosta de tramas que envolvem misticismo, conspirações e ordens secretas com planos de dominação mundial. Tudo bem, é um pouco chato e sem propósito aquele discurso de Eva no final mas não deixa de despertar um questionamento sobre os rumos de nossa vida moderna e a maneira como lidamos com nossa vida “real” e “virtual”. Não concordo com a opinião do autor, de que levamos parte de nosso comportamento dos jogos e do mundo virtual para a nossa vida real, mas gostei da maneira como o assunto foi tratado.

O sonho de Eva é uma ficção bem construída e escrita e merece nota 9 – o livro é muito bom e um dos melhores que li no ano até agora, mesmo não estando entre os meus gêneros favoritos.

Obs.: Não entendi porque o livro foi publicado no selo “Novo Conceito Jovem”. Não há qualquer elemento Young Adult nesse livro, nem na idade da protagonista e nem na trama da história. Procurei informações sobre o selo no ste da Editora mas não encontrei nada.
Obs.²: Sim, o autor é brasileiro.
 ***

E você? Leria o livro? Comente! 
        

1 comentários:

  1. Aaaai eu quero esseeee!!! Sempre me interessei muito pelo tema de sonhos lúcidos!! Já até tentei, mas eu sou preguiçosa: Não consegui da primeira vez e não tentei mais. Hahahahaha!! Parece ser muito legal o livro. E eu entendo, as vezes é irritante esse negócio de todo mundo se apaixonar pela protagonista. A não ser que isso seja bem trabalhado e explicado, mas pelo visto não foi nesse livro.
    Beijos!!

    ResponderExcluir


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!